Topo
Blog Menu do Dia

Blog Menu do Dia

Categorias

Histórico

6 atitudes do Ayurveda que podem melhorar sua alimentação e bem-estar

Luciana Mastrorosa

29/05/2018 08h00

Crédito: iStock

Há poucas semanas, acompanhei o primeiro SIAB – Seminário Internacional de Ayurveda no Brasil, que ocorreu em diversas cidades, culminando na edição que presenciei, em São Paulo (SP). A ideia era conhecer um pouco mais sobre Ayurveda, a medicina milenar indiana, e trazer alguns de seus conceitos sobre alimentação aqui para o Menu do Dia.

A primeira edição do SIAB na cidade foi promovida pelo Gabinete de Ayurveda, com sede no Rio de Janeiro, e trouxe um casal de médicos indianos, Dr. Abhijeet Shirkande e Dra. Ankita Shirkande, que explicaram ao público alguns dos princípios básicos aiurvédicos. Os dois atuam na universidade D. Y Patil College of Ayurveda e no centro de pesquisa de Ayurveda em Pune, na Índia.

Preciso dizer: fiquei encantada. Para nós, criados na cultura ocidental, que preza pela ciência e tecnologia, com uma visão bastante biomédica da vida, mergulhar por dois dias no sistema indiano de compreender a saúde e a vida é algo desconcertante e, ao mesmo tempo, fabuloso.

O curso foi promovido no Espaço Natividade, na Vila Nova Conceição, um "oásis" em meio ao trânsito maluco da capital paulista. Em setembro, o casal deve voltar ao Brasil para mais uma série de palestras e atendimentos, mediados pelo Gabinete de Ayurveda.

Manual para nossa "máquina suprema"

Logo no início, fomos convidados a retirar os sapatos, sentar com calma e, simplesmente, respirar. Todos juntos, entoamos o "oummm" para nos conectar com o momento presente. E assim seguimos, por dois dias totalmente intensos de aprendizado.

Afinal, o que é Ayurveda? Dra. Ankita começa o seminário dizendo que Ayurveda é um "manual para nosso corpo, para a nossa 'máquina suprema'", ou seja, o corpo em que habitamos, a nossa casa. É uma combinação das palavras do sânscrito "ayur", que significa vida, e "veda", conhecimento. Assim, a médica explica que os princípios aiurvédicos servem não apenas para a cura de males e doenças que afligem nosso corpo e mente, mas, principalmente, para a manutenção desse sistema em perfeito equilíbrio.

"À medida que vamos crescendo, essa felicidade que a gente vê espontaneamente nas crianças deveria crescer em nós, mas não é isso que acontece", diz Ankita. "Então, se não estamos felizes conosco, como podemos fazer o outro feliz? Por algum lugar, essa energia de felicidade está escoando". Por aí, já se percebe que não é por meio de uma pílula que vamos conseguir ser felizes, nem saudáveis.

Dessa forma, as práticas do Ayurveda atuam tanto na prevenção quanto nos cuidados paliativos, visando à manutenção e ao restabelecimento da saúde, mesmo nas idades mais avançadas. Mais do que receitar uma erva ou um medicamento para algo específico, o Ayurveda prescreve um estilo de vida, desde a hora de acordar e ir ao banheiro, até os hábitos de higiene, meditação e exercícios.

O Yoga, por exemplo, é parte dessa tradição milenar. O mais interessante disso tudo é que esse conjunto de práticas vem sendo seguido e aperfeiçoado há milênios! O texto mais antigo é o Charaka Samhita, que data de 3 mil anos a.C.

E onde entra a alimentação?

Em tudo! Para o Ayurveda, o que comemos nos define, de corpo e alma. De acordo com esse sistema, nós somos formados por 5 elementos: éter, ar, fogo, água e terra. A partir deles, temos três doshas: vata (formado por éter e ar), pitta (fogo e água) e kapha (terra e água).

Cada um de nós apresenta esses três doshas, manifestados em aspectos físicos (pessoas calorentas ou friorentas, por exemplo) e psicológicos (pessoas mais nervosas e agitadas, ou mais calmas e lentas, etc.). Embora todos tenhamos esses três doshas, cada um de nós possui algum deles em destaque. E, sabendo-se isso, pode-se utilizar a alimentação para equilibrar o nosso dosha principal, de modo a manter nossa saúde em dia.

Existem diversos testes on-line que podem dar uma pista do seu principal dosha, mas o ideal é que essa avaliação seja feita por um médico aiurvédico (eles têm outras formas de avaliar, como sentindo a pulsação). É claro que essa medicina milenar é muito mais complexa do que eu poderia resumir em um único artigo. Contudo, levantei abaixo alguns pontos interessantes que você pode incluir na sua rotina e que vão ajudá-lo a manter a digestão, a saúde e o bem-estar. Vamos lá?

Acorde ao nascer do sol

A alimentação está inserida na chamada "dinacharya", uma rotina completa e holística que deve ser praticada diariamente. É a proposta de uma prática consciente para as atividades diárias, visando manter nosso sistema em perfeito estado. A dinacharya começa logo na hora de acordar – e o Ayurveda recomenda que se acorde sempre antes do nascer do – até umas 6h30, no máximo.

"Depois disso, a pessoa pode ter sonolência e não conseguir despertar direito, atrapalhando a rotina", diz dra. Ankita. Para a especialista, pessoas saudáveis sempre se levantam bem cedo, em harmonia com os ritmos naturais do sol e do planeta. O ideal é acordar se sentindo bem-disposto e já com vontade de ir ao banheiro para eliminar as fezes e a urina.

Comece o dia com práticas de higiene e auto-massagem

Depois de despertar e ir ao banheiro, recomenda-se lavar o rosto com água fria, limpar a boca com água morna e escovar os dentes. Em seguida, deve-se utilizar um raspador de língua, que ajuda a despertar as papilas gustativas, a remover placas e a higienizar a língua. Até para isso há recomendações: pittas devem usar raspadores de prata; vata, de ouro; e kapha, de cobre. "Esses metais possuem qualidades opostas aos doshas, então devem ser usados para equilibrar", afirma dra. Ankita.

Se isso parecer demais para você, vale inserir ao menos a automassagem, considerada fundamental para relaxar e começar o dia com disposição. Ela é feita tradicionalmente com óleos: de coco, para pitta; de gergelim, para vata; e de oliva ou girassol, para kapha. Essa prática auxilia a aumentar o tônus muscular, fortalecer corpo e mente e também nutrir todos os tecidos do corpo. A ideia é fazer a massagem, com oleação, de manhã e à noite, no corpo todo. "Se não conseguir de manhã, faça ao menos à noite, antes do banho", sugere a especialista.

Pratique atividades físicas leves no início da manhã

Sim, a dinacharya é longa, e inclui também a prática de atividades físicas leves, que pode ser realizada logo após a auto-massagem. Uma sugestão para nossa rotina apertada é realizar a "saudação ao sol", um conjunto de posturas do Yoga. Dra. Ankita recomenda começar com uma sequência e aumentar uma por semana, até conseguir fazer 12 sequências toda manhã.

"Os exercícios promovem leveza, ajudam a aumentar a capacidade digestiva e a queimar gorduras", diz ela. "O objetivo é se sentir energizado, e não estafado". Após os exercícios, pode tomar o banho (sempre com água morna, principalmente na cabeça) e partir para o café da manhã.

Coma somente quando estiver com fome

Quem segue uma dinacharya estrita, costuma tomar apenas seus medicamentos específicos para a manutenção da saúde (em geral, à base de ervas, recomendados apenas sob prescrição médica), no café da manhã, sem ingestão de alimentos até o almoço. Mas, no nosso caso, a ideia é tomar um café da manhã leve após a rotina de higiene, massagem e exercícios. Antes de ingerir qualquer alimento pela manhã, recomenda-se tomar um pouco de água morna com gotas de limão e uma pitadinha de sal, para ativar o sistema digestório.

E o almoço deve ser sempre no mesmo horário, entre 12 h e 14 h.  "Esse é o horário de pitta, quando nosso fogo digestivo está em seu auge", ensina a dra. Ankita. Fundamental, porém, é seguir uma única regra: comer apenas quando se tem fome, e não porque está com vontade ou por puro hábito. O Ayurveda não recomenda, por exemplo, comer de três em três horas, mas sim fazer no máximo três boas refeições, de acordo com seu tipo físico e seu apetite individual.

Respeite sua individualidade e alimente seu dosha

O que se come, afinal? Alguns alimentos são indicados para todos os doshas, como o ghee. Preparado diretamente da nata, o ghee é como uma manteiga clarificada, bem dourado e de sabor amanteigado. "Mas, para ser bom, tem de ser elaborado com leite de vacas que pastam, sem antibióticos nem ração", advertem os experts. Na Índia, há tipos específicos de ghee elaborados com ervas para tratar diversos males, além de variedades para aplicar como colírio e até como lubrificante nasal.

Além do ghee, que pode ser usado para preparar todo tipo de alimento, o Ayurveda recomenda que se siga uma dieta rica em produtos naturais, muitas frutas, verduras, legumes, leite e óleos de boa qualidade e também especiarias. Este site tem receitas interessantes de masalas (misturas de temperos) para cada dosha. E deve-se dar preferência aos ingredientes produzidos localmente, de maneira orgânica, sem pesticidas. Todas as refeições devem incluir os sabores doce, picante, ácido, amargo, salgado e adstringente.

Os indivíduos com predominância de vata se beneficiam dos sabores doces, salgados e ácidos; os pitta se equilibram com amargo, doce e adstringente; e, por fim, os kapha precisam de picante, adstringente e amargo para encontrar o equilíbrio. Para adoçar, usa-se o mel (nunca aquecido), o melaço de cana e a rapadura. O gengibre fresco ou seco, em pedaços mínimos, é consumido pouco antes das principais refeições, para ativar a digestão. E as carnes? O Ayurveda não proíbe nenhuma carne mas, em geral, recomenda uma dieta lacto-vegetariana.

Durma cedo, medite e… respire

Um dos princípios fundamentais do Ayurveda é que nós somos um reflexo do todo. Ou seja, quanto mais nosso ritmo pessoal estiver conectado ao ritmo do planeta, das estações do ano, da lua, etc., mais bem-estar teremos. Por isso, recomenda-se dormir cedo (antes das dez da noite, de preferência) e praticar todos os dias atividades de respiração e meditação. Como define o dr. Abhijeet, "meditação é uma combinação de conhecimento do universo e do nosso ser individual".

É uma forma de dar uma baixada na loucura do dia a dia, procurando deixar para trás o estresse acumulado. À noite, o ideal também é fazer uma refeição bem leve, calma, em local tranquilo e longe de televisão e aparelhos eletrônicos. Fazendo tudo isso, o sono será profundo e restaurador e, no dia seguinte, você acordará bem-disposto e com energia para suas tarefas rotineiras. "Ayurveda é integração corpo, mente, espírito, universo. Respeitar o planeta e usar o que for possível para uma rotina saudável e feliz", resume dr. Abhijeet.

Você já conhecia o Ayurveda? O que achou dessas sugestões para sua rotina? Me conta! Estou no Facebook e também no Instagram.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.