Topo
Blog Menu do Dia

Blog Menu do Dia

Categorias

Histórico

Baunilha verdadeira é fonte de antioxidantes, faça seu extrato caseiro

Luciana Mastrorosa

22/08/2019 04h00

Crédito: iStock

A baunilha é uma das especiarias mais usadas na confeitaria, com seu aroma naturalmente doce e amadeirado. O que encontramos comumente no mercado é uma versão artificial do aroma de baunilha, que mimetiza seu perfume agradável e a coloração que lembra o caramelo. Porém, a vagem ou fava da baunilha, de aparência escura e seca, cheia de pontinhos pretos dentro (as sementinhas) nem se compara ao aroma artificial. De origem americana, as favas de baunilha já eram usadas pelos astecas há séculos, principalmente para aromatizar bebidas à base de cacau (combinação, aliás, usada até hoje nos tabletes de chocolate que consumimos, dos industrializados aos mais artesanais).

Assim como ocorre com o açafrão verdadeiro, extraído dos pistilos de determinadas flores, a baunilha verdadeira é bastante cara. Porém, é rica em compostos fenólicos, que conferem a ela não apenas seu aroma e doçura característicos, mas também exercem atividade antioxidante, ajudando a prevenir doenças crônicas e a combater a inflamação do organismo. Seu aroma marcante e adocicado é originado a partir de três fatores: a riqueza de compostos fenólicos presentes na vagem, um bom suprimento de açúcares naturais da planta e também aminoácidos. O principal dos compostos fenólicos presentes na baunilha é a vanilina. Além de ser antioxidante, a vanilina também exerce função antimicrobiana, combatendo micro-organismos nocivos ao organismo, e ainda ajudando a inibir danos ao DNA.

A baunilha é um aroma tão difundido e apreciado mundialmente que tem um uso amplo até nos cosméticos, não apenas por sua atividade antioxidante, mas também pelo seu perfume, que tem propriedades calmantes e anti-estresse.

Como fazer extrato de baunilha

As favas de baunilha natural são encontradas em mercados centrais e empórios especializados em gastronomia. Com apenas uma fava é possível aromatizar uma boa quantidade de líquido. Para isso, deve-se abrir a fava ao meio, no sentido do comprimento, e raspar as sementinhas pretas, colocando-as no líquido que deseja aromatizar. Em geral, é muito usada no preparo de cremes, pudins, sorvetes e mousses, deixando aqueles agradáveis pontinhos pretos no creme branco ou amarelado. Depois de usar a fava na sua receita, não jogue-a fora. Corte-a em pedaços e coloque-a no pote de açúcar. Após algum tempo, o açúcar irá adquirir o aroma agradável da baunilha, e poderá ser usado como ingrediente nas próximas receitas, ou mesmo para adoçar bebidas, deixando um aroma sutil.

Se você quer preparar um extrato caseiro, vale investir em algumas favas e colocá-las imersas em vodca ou cachaça branca, num pote de vidro pequeno e bem tampado. Deixe por algumas semanas ao abrigo da luz e do calor. Com o tempo, o aroma da baunilha vai sendo extraído para a bebida, deixando-a com uma cor caramelada e perfume intenso. Use esse líquido em pequenas quantidades para aromatizar seus próprios preparos, como faria com o extrato de baunilha artificial. Quanto mais favas colocar, mais forte será o extrato. Conforme o líquido for sendo usado, vá completando o vidro com um pouco mais de vodca ou cachaça. Esse extrato dura muito tempo, anos até, se tiver o cuidado de armazená-lo num recipiente sempre limpo, de vidro, bem tampado, longe da luz e de fontes de calor.

Usos culinários

Como disse acima, a fava de baunilha e suas sementinhas são mais usadas para aromatizar receitas da confeitaria, principalmente aquelas que levam creme de leite, leite, ovos, gemas… Ela pode ser fervida junto com o creme e deixada em infusão por algum tempo, para conferir mais sabor e aroma. Mas nada impede que se use a baunilha também em pratos salgados, como molhos para carnes de porco, boi ou aves, trazendo uma ligeira doçura e um aroma amadeirado que combina com o sabor forte dessas carnes. O importante é ter sempre algum líquido, para que a baunilha possa desprender seu aroma de maneira natural.

Gosto também de usar a baunilha para aromatizar chás e infusões com ervas e flores. A fava de baunilha é vendida seca e curada, então não precisa jogar fora depois de apenas um uso: deixe-a secar bem e guarde-a num pote com açúcar, para conservá-la melhor (o açúcar age como um conservante natural). Como é uma especiaria bastante cara, vale a pena usá-la e preservá-la o máximo que puder (ou dar de presente algumas delas para aquela sua amiga ou amigo gourmet – certeza de que a pessoa irá amar).

Você já provou baunilha natural? O que achou? Conte para mim! Estou no Instagram, me adicione por lá.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.