PUBLICIDADE

Topo

Parecido com o inhame, cará tem ferro e vitamina B, veja como usar

Luciana Mastrorosa

15/09/2020 04h00

Crédito: iStock

O cará é um tubérculo muito confundido com o inhame. Em alguns lugares do país, este tubérculo grandão recebe esse mesmo nome, daí a confusão. De aparência rústica, casca marrom com poucos "pelos" recobrindo sua superfície e uma polpa firme e branca, é um ingrediente barato, fácil de achar, que pode facilmente substituir a batata e a mandioca no dia a dia, fornecendo ferro (bom para combater a anemia) e diversas vitaminas do complexo B, que atuam em vários processos metabólicos no organismo, contribuindo para o bom funcionamento do sistema nervoso, inclusive.

Dentre os minerais, além do ferro, o cará fornece uma boa dose de potássio, que favorece os que têm hipertensão e os praticantes de atividades físicas extenuantes, ajudando a combater as câimbras. E, ainda, é pobre em lipídios, fornece um pouco de proteínas, mas brilha como fonte de carboidratos e fibras, dando energia e ajudando o processo digestivo e os intestinos.

Como usar o cará na cozinha

Não costumo consumir o cará cru, como muita gente faz com o inhame, usando-o para preparar leites vegetais. Prefiro consumi-lo cozido, quando sua polpa firme se torna agradável na mordida. E, por ter sabor muito neutro, combina com temperos salgados e até doces.

Em geral, é um tubérculo que fica maravilhoso em sopas e ensopados, especialmente se combinado a outras hortaliças, como cenoura, inhame, tomates, vagens, ervilha, cebola, alho, etc. Mesmo depois de cozido, ele ainda permanece com uma textura mais firme, então não costumo preparar purês. Mas fica ótimo cozido rapidamente em água com sal e servido com um pouco de manteiga e ervas, especialmente a salsinha. Acompanhamento perfeito para carnes, legumes e saladas e substitui numa boa o arroz, que anda tão caro.

O cará também fica excelente preparado ao forno, coberto com um pouco de caldo caseiro e polvilhado com queijo e ervas, ou mesmo com molho branco. Basta deixar na assadeira, com os temperos que desejar (com um pouco de alho e alecrim fica divino!) e assar em forno médio até ficar macio.

Para enriquecer a refeição, gosto de usar o cará cortado em pedaços grandes e adicioná-lo a sopas de frango, como canja, ou ensopados com carnes mais duras, como o coxão duro e o acém. Fica muito nutritivo, o cará engrossa ligeiramente o caldo e absorve bem o sabor da proteína principal, delicioso e delicado na mordida.

E, ainda, dá para fazer pãezinhos, doces ou salgados, com o cará amassado substituindo parte da farinha de trigo. É uma forma de trazer mais fibras, vitaminas e minerais aos pães, e fica ótimo para o lanchinho das crianças.

Por fim, se você adora um docinho, experimente fazer o cará cortado em rodelas e cozido numa calda com açúcar, água e especiarias, como cravo, canela, anis estrelado e cardamomo. Depois de cozido, com a calda ainda rala, deixe esfriar naturalmente e sirva na sobremesa. Pode adicionar frutas frescas da época, como morangos, que trazem um azedinho que faz par perfeito com o cará em calda.

E você? Costuma usar o cará na sua cozinha? Conte para mim! Estou no Instagram, me adicione por lá.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.