PUBLICIDADE

Topo

Alecrim perfuma carnes, é antimicrobiano e ajuda a aliviar a tosse

Luciana Mastrorosa

19/03/2020 04h00

Crédito: iStock

O alecrim é uma das ervas mais usadas pela humanidade. De origem mediterrânea, essa erva de folhas pequenas e pontiagudas tem um aroma marcante e sabor ligeiramente mentolado, um pouco amargo, se usado em excesso.

É muito empregado na culinária, principalmente para temperar carnes de sabor forte, como a bovina e a de cordeiro. Na medicina popular, vem sendo usado há séculos para o alívio de determinados sintomas, como tosse (em especial, junto com guaco e poejo, na forma de infusão) e para tratar pequenos machucados e picadas de insetos. Por seu aroma agradável e purificante, antigamente costumava-se queimar alecrim nas igrejas, quando não havia incenso.

Diversos estudos vêm comprovando os benefícios do alecrim e alguns apontam que, de fato, essa erva pode ajudar a aliviar dores de cabeça e combater doenças circulatórias, além de atuar como estimulante, analgésico leve, no alívio de perturbações respiratórias e até como estimulante para o crescimento de cabelos.

Seu potencial terapêutico vem sendo explorado no tratamento ou prevenção da asma brônquica, além de úlcera, doenças inflamatórias e hepatotoxicidade. De toda forma, como sempre comento por aqui, é importante consultar um profissional de saúde antes de fazer uso de qualquer alimento para fins de saúde.

O alecrim pode fazer parte da alimentação cotidiana e é um aliado no preparo e na conservação de certos pratos, principalmente embutidos e carnes, pois tem um grande poder antioxidante e também atua como antimicrobiano e bactericida.

Em geral, essa erva tem seu sabor e aroma mais acentuados quando está fresca. Ela é facilmente cultivada em pequenos vasos e não exige muita água para viver. Se comprar os ramos frescos, pode deixá-los em copos ou vasinhos com água para que durem mais tempo. Pode ser encontrada na versão seca, quando ainda tem sabor e aroma, mas mais discretos.

Como usar o alecrim na cozinha

O alecrim é perfeito para o preparo de carnes de sabor forte, como a bovina e a de cordeiro, como falei acima, principalmente junto com alho e vinho. Mas bastam poucos raminhos para aromatizar preparos como batatas cozidas, assadas ou fritas, sopas e ensopados, pratos à base de feijões (principalmente o feijão branco, que combina perfeitamente com o sabor dessa erva), além de peixes e frango. Quando asso legumes regados com azeite, costumo colocar alguns ramos de alecrim junto, adicionando ainda dentes inteiros de alho, com casca e tudo. Se preparar um simples pão tostado no forno, regue as fatias com azeite de oliva, uma pitada de sal grosso, esfregue com um dente de alho (pouco, senão fica forte demais) e adicione alguns raminhos de alecrim. Fica muito perfumado e é um acompanhamento simples e prático para o dia a dia.

E, se fizer pão caseiro ou mesmo bolos simples, junte algumas folhinhas de alecrim picadas. Deixa um sabor agradável e um perfume muito gostoso.

A erva pode ser usada também para fazer infusão, combinada com outras como mate, camomila, hortelã, guaco, poejo, ou mesmo chás como o chá verde, o preto e o branco. Não precisa exagerar na quantidade, um raminho é suficiente para uma xícara de chá. Fica ótimo também com casca de maçã e rodelas de laranja ou limão, adoçado com mel ou melado de cana.

Na parte das sobremesas, o alecrim empresta seu aroma a caldas de açúcar e preparos cremosos, como a pannacotta (feita de creme de leite fresco e gelatina) ou mesmo pudins feitos de leite ou bebidas vegetais. Nesses caso, usa-se a erva infusionada no ingrediente principal, seja a água com açúcar que dará origem à calda, seja o creme de leite ou leite para o pudim. Só não esqueça de remover o galho de alecrim ao final do preparo.

Você usa alecrim na cozinha? Conte para mim! Estou no Instagram, me adicione por lá.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.