Blog Menu do Dia

Categorias

Histórico

Dia do Café: veja 5 motivos para gostar ainda mais da bebida

Luciana Mastrorosa

14/04/2018 08h00

Crédito: iStock

O Dia Internacional do Café comemora-se neste 14 de abril. E se tem uma coisa que une os brasileiros em termos de paixão (depois do futebol) é uma bela xícara de cafezinho passado na hora. Somos os maiores produtores mundiais de café, o segundo país que mais consome essa bebida no planeta e, além disso, nossos arábicas (e até os robustas!) são sensacionais e tudo de bom para o paladar e para a saúde.

Em termos de qualidade, porém, há ainda muito espaço para o consumidor descobrir os cafés premium, aqueles que possuem a menor quantidade possível de defeitos, como paus, pedras e grãos defeituosos. Segundo o relatório de Tendências do Mercado de Cafés em 2017, da Euromonitor, patrocinada pela Abic – Associação Brasileira da Indústria de Café, apenas 10% do café consumido no Brasil é considerado especial (embora esse mercado tenha crescido de forma acelerada), enquanto 90% da bebida consumida é a tradicional.

O que isso significa? O café tradicional, segundo classificação da Abic, é aquele que tem qualidade regular, pois apresenta uma porcentagem mais alta de defeitos. São mais baratos, em geral vendidos já moídos, com um grau de torra muito alto, o que contribui para deixá-los ainda mais amargos. Já o café premium, mais puro, selecionado e com um mínimo de defeitos, além de ter um sabor melhor e menos amargor, também contribui para se obter todos os benefícios dessa bebida.

Como eu amo café, convido você, neste dia especial, a refletir sobre o cafezinho que entra na sua xícara e conhecer alguns motivos para melhorar a qualidade da sua bebida. Sim, o preço dos cafés especiais é maior, mas o sabor compensa. Vamos lá:

1 – Só grãos, sem paus nem pedras
Do pé à xícara, o café passa por diversos processos que podem torná-lo ainda melhor ou arruiná-lo. Mas o mais importante para a gente saber, como consumidor, é: quanto mais grãos de café num pacote, melhor. Ninguém quer tomar um cafezinho que tenha sido moído junto com pedras, galhos, folhas ou, pior, grãos indevidamente fermentados ou brocados, certo?

Isso quer dizer que, ao consumir um café de alta qualidade (classificado como gourmet, pela Abic, ou chamado também de especial ou premium), você tem certeza de que está bebendo uma porcentagem altíssima de grãos dessa planta, com um mínimo, ou nada, de defeitos, a depender da marca. Ou seja, está garantindo que sua xícara traga os benefícios diversos que o café confere para a saúde, além de aumentar o prazer sensorial.

Além disso, os cafés especiais recebem cuidados detalhados em todas as fases do processo. Os grãos são colhidos maduros para que o resultado final seja mais agradável no paladar. É importante que seja assim, pois o café verde é muito adstringente e prejudica o sabor da bebida. A secagem também precisa ser feita de maneira correta, assim como o armazenamento e a seleção dos grãos, garantindo que o máximo de impurezas seja extraído.

Por fim, a torra é um momento crucial: cafés menos torrados, ou seja, de torra clara, preservam mais os óleos essenciais e desenvolvem aromas mais delicados, como os florais e cítricos, e uma acidez agradável. Enquanto isso, os mais torrados costumam desenvolver aromas caramelados e tostados. Se passar do ponto, pode queimar os grãos, o que contribui para aumentar o amargor. Além disso, a torra escura esconde defeitos do café, por isso muitas vezes só se encontram torras mais claras dentre os cafés de maior qualidade.

2 – Cafeína, antioxidantes e proteção contra doenças
Em termos de saúde, o café é sempre apontado como um alimento com muitos benefícios. A cafeína, por exemplo, ajuda a trazer disposição para as tarefas do dia a dia (e também para os exercícios físicos), além de deixar o cérebro mais alerta, pois melhora o fator cognitivo. Dessa forma, atua na prevenção de doenças neurodegenerativas importantes, como Alzheimer e Parkinson.

Estudos apontam também que o consumo regular da bebida está associado com a prevenção do diabetes tipo 2, principalmente pela presença de polifenóis, como o ácido clorogênico. É uma bebida que contêm também óleos, aminoácidos, açúcares e diversos minerais, como cálcio, zinco, magnésio e manganês. Para preservar esses benefícios, é interessante comprar café novo e em grãos, em embalagens menores, e ir moendo aos poucos. Em contato com o ar, o café oxida e estraga mais rápido.

3 – Perfume e sabor mais marcantes
É inegável que um café de qualidade, bem produzido, selecionado e com grãos torrados de maneira adequada, traz muito mais prazer sensorial, pois seu sabor e aroma se apuram com o manejo correto da planta à xícara. Você sabia que já foram encontrados mais de 900 compostos voláteis no café, tanto nos grãos verdes quanto nos torrados? Os aromas mais comuns do café estão classificados numa roda da SCAA – Associação Americana de Cafés Especiais, que norteia o trabalho de degustadores.

Na roda, vemos que o café pode desenvolver aromas florais, frutados, doces, cítricos… Isso varia de acordo com a espécie (arábicas são muito mais aromáticos, enquanto robustas são mais encorpados), com a região em que foi plantado e com os processos de secagem e torra. Assim, quanto melhor o café, mais complexo será também seu aroma e sabor.

4 – Mais doçura, menos amargor
Repare bem: os cafés tradicionais, que estamos acostumados a tomar no dia a dia, são muito amargos, certo? Os especiais, não. Se você puder comparar, faça o teste: ao tomar um café premium, dê o primeiro gole sem açúcar nem adoçante e sinta como a bebida tem, naturalmente, um pouco de doçura.

Compare com um café de todo dia e perceba a diferença. Além disso, a acidez é um atributo desejável no café e dificilmente um tradicional terá isso, pois ela se perde com as torras muito escuras. Alguns grãos resultam em bebidas realmente muito doces e delicadas, com aromas agradáveis de melado, rapadura, baunilha, chocolate.

5 – Rastreabilidade e origens
Por fim, um motivo que considero fundamental para investir um pouco mais no seu café é conhecer a riqueza de aromas e sabores que o nosso Brasil produz. A gente tem tido muita oportunidade de reclamar do país, mas quando temos algo bom, acho que é legal falar também, né? O Brasil tem hoje diversas regiões produtoras de café de altíssima qualidade, principalmente em Minas Gerais, São Paulo e Paraná. No Espírito Santo, estão sendo cultivados alguns dos melhores arábicas do país e que , diferentemente do que ocorria no passado, agora também estão à nossa disposição.

Até na Amazônia já tem café de qualidade, da espécie canephora (os robustas são variedades dessa espécie), com uma força e um corpo dignos de nota. Ou seja: além de tomar o café e obter todos os benefícios dessa bebida, também dá para viajar um pouquinho pelo país, mesmo que seja só sensorialmente. E você pode também procurar diferentes variedades de café, como Bourbon Amarelo, Catuaí, Icatu, etc. Cada uma delas será particular na xícara.

Aprecie com moderação!
Apesar de o café ser maravilhoso e, de fato, contribuir para muitos aspectos da saúde (principalmente os especiais de alta qualidade), não dá para exagerar. A mesma cafeína que atua como estimulante, ajuda a trazer disposição e auxilia a digestão também pode provocar taquicardia e dores de estômago, se você exagerar na dose. Assim, é melhor não passar de três xícaras, mas respeite sempre a sua sensibilidade individual.

E você, também não vive sem café? Tem algum tipo preferido? Conte tudo! Estou no Facebook e também no Instagram.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.

Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Blog Menu do dia
Topo