Topo
Blog Menu do Dia

Blog Menu do Dia

Categorias

Histórico

Rico em licopeno, tomate é usado até em receitas doces. Aproveite a safra

Luciana Mastrorosa

2009-03-20T19:04:00

09/03/2019 04h00

Crédito: iStock

De origem americana, mais precisamente dos Andes, o tomate espalhou-se pelo mundo e encontrou solo fértil no Mediterrâneo, onde até hoje é usado como base para diferentes receitas, principalmente de molhos. Por aqui, essa fruta popularizou-se bastante com a chegada dos imigrantes italianos, e hoje é usada de norte a sul do país até em receitas doces.

Esse fruto da família das solanáceas – como a berinjela, o pimentão, o jiló e as pimentas vermelhas – apresenta-se em diversas qualidades e tamanhos, com cores que variam do amarelo, passando pelo laranja até o vermelho intenso. É rico em licopeno, um antioxidante com ação anti-câncer, como explico mais abaixo. Nesta época do ano, algumas variedades estão na safra, o que baixa o preço e melhora o sabor. Além disso, como os tomates costumam estar na lista dos mais pulverizados com agrotóxicos, vale a pena investir um pouco mais e comprar os orgânicos, em feiras e mercados especializados nesses produtos ou mesmo direto de pequenos produtores.

Tipos e usos

Carmen

Uma das variedades mais comuns de tomate no Brasil é a Carmen, que também pode ser conhecido como "longa vida". É um fruto maior, de formato arredondado, com uma coloração que tende para o vermelho pálido. É ótimo para usar em saladas e molhos crus, como vinagretes, porém não é o mais indicado para molhos quentes, pois tem menos sabor e é mais aguado, além de não acrescentar tanta cor. Também fica saboroso, fatiado, para rechear sanduíches diversos, como hambúrguer e misto-quente. Neste caso, fica mais gostoso ainda usar o tomate ligeiramente verde, que traz um sabor e uma acidez a mais ao prato. Mesmo os tomates verdes também podem ser usados na culinária, em molhos frescos para acompanhar pratos ou empanados e fritos.

Italiano

Bem vermelho e de formato mais alongado, essa é a variedade mais indicada para molhos. Tem menos sementes, é mais carnudo e adocicado e contribui com uma cor intensa para as preparações. Também gosto de usá-lo como base para refogados e ensopados, principalmente aqueles à base de carnes, legumes e grãos. Ao contrário do tomate Carmen, o Italiano é mais sensível e dura menos tempo, mesmo conservado na geladeira. Outro uso excelente para o tomate italiano é na forma de sucos e drinques, com ou sem álcool, servidos como aperitivo. O famoso Bloody Mary leva suco de tomate fresco, vodca, gelo e temperos, como sal e pimenta. Pode ser servido sem o álcool e complementado com palitos de cenoura e de salsão, para um sabor a mais (além de fibras, vitaminas e minerais). Use o tomate Italiano também para desidratar ou assar, com um fio de azeite, sal e pimenta. Depois de desidratado, conserve os tomates secos num pote de vidro com azeite, fatias de alho e grãos de pimenta inteiros, na geladeira, e sirva como aperitivo ou no preparo de pizzas, sanduíches, massas, etc.

Tomate-cereja

De uns anos para cá, o tomate-cereja vem se popularizando cada vez mais no país, para uso principalmente em salada. De formato diminuto e arredondado, como o de uma cereja, tem sabor pronunciado e um pouco mais ácido do que as variedades maiores. É ótimo para usar em salada ou, picadinho e temperado, na cobertura de brusquetas e torradas. Também fica delicioso para fazer confitado no forno, com bastante azeite de oliva, dentes de alho inteiros, sal, pimenta-do-reino moída na hora e ramos de tomilho fresco, folhas de louro e alecrim. O segredo dessa receita é usar o forno mais baixo possível, para não ferver o azeite, apenas aquecê-lo, de modo a fazer com que os tomates murchem e cozinhem levemente. Os tomatinhos confitados podem ser servidos como aperitivo ou acompanhamento para carnes e ainda têm a vantagem de contribuir com as gorduras de excelente qualidade do azeite de oliva e os efeitos antioxidantes das ervas, além da alicina, presente no alho, que ajuda o sistema imunológico.

Tomate sweet grape

Essa variedade lembra o tomate-cereja. Porém, como diz o nome em inglês, "uva doce", seu formato remete a um grão de uva, mais alongado e durinho. É carnudo, bem doce e tem poucas sementes. Por isso, além dos usos citados para o tomate-cereja, o sweet grape fica delicioso para fazer como sobremesa, cozido em calda de açúcar com especiarias, como se fosse uma compota. Depois de fria, essa compota pode ser servida com sorvete ou usada como cobertura para tortas doces recheadas de creme de baunilha, por exemplo.

Tomate Débora

Não tão redondo e aguado quanto o Carmen, nem tão vermelho e carnudo quanto o Italiano, o tomate Débora é versátil e parece ficar num meio-termo entre essas duas variedades. É ótimo para salada e molhos frios, mas também se adequa bem ao preparo de molhos quentes, como os típicos italianos à base de carnes (bolonhesa, braciole, almôndegas, etc.). Tem uma durabilidade maior do que o Italiano e seu preço também é mais em conta. Fica muito gostoso assado e recheado com itens diversos, como arroz com carne, misturas de queijos e legumes, ovos temperados, etc.

Tomate perinha

Por fim, temos ainda o tomate perinha, que ganhou esse nome porque lembra o sweet grape, porém de tamanho maior e com o formato que lembra o de uma pera pequea. Assim como o tomate-cereja, dá para encontrar nas cores amarelo e laranja também. Fica ótimo para enriquecer saladas e molhos frios – use variedades de diversas cores, bem picadas e temperadas com sal, pimenta, alho, cebola, azeite, vinagre ou suco de limão e ervas frescas ou secas abundantes. Esse molho frio é um excelente acompanhamento para churrasco e carnes variadas, pois contribui com uma boa dose de antioxidantes, ajudando a equilibrar os efeitos nocivos da carne muito grelhada. Também fica bom misturado a queijos picados e folhas de manjericão fresco, usado como molho frio para massas. Se preferir aquecido, faça uma base de azeite com alho refogado e salteie rapidamente os tomates, apenas para esquentarem um pouco, mas sem virar um molho. Junte o queijo (mozzarela ou bolinhas de mozzarela de búfala ficam excelentes) e as folhas de manjericão, misture bem e finalize com mais azeite, se desejar, e um pouco de pimenta-do-reino moída na hora, que traz sabor e ajuda na absorção de outros nutrientes.

Além de tudo, é bom para a saúde

O tomate apresenta todas essas variedades e versatilidade e ainda tem uma vantagem fundamental: é uma das hortaliças mais ricas em licopeno, um tipo de carotenoide que age como um potente antioxidante. Estudos têm apontado o licopeno como um grande protetor contra doenças crônicas não-transmissíveis, como hipertensão, diabetes e doenças cardiovasculares, e, principalmente, contra o câncer – em particular, o de próstata. O melhor é que a presença desse antioxidante não é alterada com o preparo, ou seja, tanto os molhos e extratos de tomate quanto a fruta fresca são ricos nessa substância e continuam exercendo esse efeito protetor. Alguns estudos sugerem ainda que consumir tomate com algum tipo de gordura favorece a absorção de licopeno, assim como o cozimento – por isso a combinação de tomate com azeite parece particularmente benéfica.

Além disso, o tomate é baixíssimo em calorias, oferece um bom teor de fibras e água, ajudando os intestinos a funcionarem melhor e o corpo a se manter hidratado, e tem minerais como cálcio e fósforo, fundamentais para a manutenção da saúde óssea, além de uma boa quantidade de potássio, que favorece os hipertensos e praticantes de atividades físicas. Em termos de vitaminas, os tomates também oferecem vitamina C, mais um antioxidante anti-envelhecimento e protetor do sistema imune, além de carotenoides, que favorecem a visão e a pele (e cuja absorção também é favorecida com a presença de gordura, por isso, capriche no azeite).

Compra e armazenamento

Na hora de comprar, prefira os tomates sem pontos pretos – eles podem indicar a presença de lagartas. Há quem prefira armazená-los fora da geladeira, para preservar o aroma e continuar a maturação. Porém, em regiões mais quentes, é preferível mantê-los em geladeira para aumentar a durabilidade. Os tomates são sensíveis à umidade, por isso, depois de lavados, cuide para mantê-los bem secos antes de armazená-los. Caso contrário, podem mofar rapidamente. Como falei mais acima, os tomates costumam ser apontados entre os alimentos com mais agrotóxicos. Por isso, sempre que puder, opte pelos orgânicos. Para pagar mais barato, procure as variedades que estiverem na época.

Você gosta de tomate? Usa só em molhos e saladas ou tem alguma receita especial? Conte para mim! Estou no Facebook e também no Instagram.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.