PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

É hora da pitanga! Aposte nessa fruta pouco calórica e rica em carotenoides

Luciana Mastrorosa

26/09/2019 04h00

Crédito: Istock

Com a chegada da primavera, chegam também as pitangas. Essas frutas pequenas e arredondadas, de cor que pode variar do alaranjado ao vermelho bem escuro, quase roxo, são nativas do Brasil (em particular, das regiões Sul e Sudeste), mas têm uma notável capacidade de adaptação a diferentes climas, por isso são bastante encontradas também no Nordeste brasileiro. No início de outubro, já começam a colorir as diversas pitangueiras espalhadas pelo país.

De sabor doce e ácido e perfume marcante (o que faz da pitanga muito usada na indústria da cosmética e beleza), essa fruta oferece poucas calorias (cerca de 41 calorias em 100 g) e uma riqueza de nutrientes que fazem bem à saúde, principalmente compostos antioxidantes, como fenólicos e carotenoides. Esses compostos bioativos ajudam a proteger o organismo contra o aparecimento de doenças crônicas, do câncer ao diabetes. As pitangas mais escuras, quase roxas, e bem maduras, são as que apresentam os mais elevados teores desses compostos.

Quando consumida fresca, a pitanga oferece também fibras, que contribuem para a saúde do sistema digestório, além de minerais como cálcio e fósforo (bons para preservar os dentes e ossos), magnésio (que contribui com o metabolismo) e potássio (excelente para os hipertensos e praticantes de atividades físicas e trabalhos intensos).

Dentre as vitaminas, como mencionei mais acima, a pitanga é riquíssima em carotenoides, que ajudam a preservar a saúde dos olhos e da pele, além de atuar com antioxidantes, evitando o envelhecimento precoce e mantendo as doenças crônicas afastadas. Oferece também um aporte de vitamina C, outro antioxidante, que também favorece o sistema imunológico, e algumas vitaminas do complexo B, como a tiamina, que ajuda a proteger o sistema nervoso, e a riboflavina, que favorece o metabolismo de gorduras, açúcares e proteínas. Uma frutinha e tanto!

Como usar a pitanga

O mais gostoso mesmo é consumir as pitangas cruas, frescas, no máximo com um pouco de creme batido, como fazemos com os morangos. Mas o sabor delicado das pitangas também fica delicioso em diversas receitas, principalmente sorvetes, picolés e sacolés (que as crianças amam!), sucos frescos, vitaminas, geleias ou até mesmo cozidas inteiras numa caldinha de açúcar, com especiarias como cravo e canela. O problema é que, embora seja comum no Brasil nesta época do ano, a pitanga estraga muito fácil, por isso é de difícil comercialização.

Assim, se tiver pitangueiras à sua disposição, aproveite sua polpa para congelamento e uso posterior. A polpa congelada é uma das formas mais fáceis de ter acesso à fruta, caso não tenha nenhuma pitangueira por perto. Para fazer o congelamento, basta remover os caroços, bater a polpa no liquidificador e congelar em forminhas de gelo ou potes plásticos. Com essa polpa congelada você pode preparar as receitas que mencionei acima. Dá para fazer isso com as frutinhas inteiras também, lembrando que, depois de descongelar, precisa remover os caroços.

A pitanga também pode ser usada em receitas salgadas, principalmente em molhos para acompanhar carnes, aves e porco. Como é ligeiramente doce e ácida, combina com carnes mais gordurosas. Para isso, jogue um pouco de água quente ou vinho branco no fundo da assadeira ou panela em que preparou as carnes, para soltar as crostinhas. Acrescente as pitangas, um pouquinho de manteiga, uma colher de vinagre ou suco de limão, ervas frescas como hortelã, e tempere com (pouco) sal e pimenta-do-reino. Se gostar, adicione um pouquinho de farinha de trigo ou amido de milho para engrossar. Pode enriquecer o molho também com um refogado de alho e cebola, bem pouco, apenas para trazer mais uma camada de sabor. Retire o caroço das pitangas antes de preparar o molho.

A medicina popular também emprega as folhas da pitangueira para o preparo de chás e infusões. Diz-se que esses preparos podem ajudar no combate a pressão alta, dores de estômago, diabetes e até mesmo ácido úrico elevado, mas ainda são necessários mais estudos para comprovar esses efeitos de maneira científica. De toda forma, as folhas frescas da pitanga resultam numa infusão agradável de tomar, quente ou fria, podendo ser incrementada com as frutinhas frescas ou rodelas de limão e laranja.

Você gosta de pitanga? Costuma consumir a fruta pura ou em receitas? Conte para mim! Estou no Instagram, me adicione por lá.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.

Blog Menu do Dia