PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Erva básica, louro é digestivo e fonte de antioxidantes, aprenda a usar

Luciana Mastrorosa

15/02/2020 04h00

Crédito: iStock

O louro é um dos temperos mais comuns no Brasil, indispensável para o feijão, a feijoada, sopas, ensopados, marinadas e molhos. Em geral, usa-se a folha inteira, seca ou fresca, que deve ser removida ao final do preparo, pois é muito dura. Também pode ser encontrada na forma de pó –mas, neste caso, é preciso ter cuidado com a quantidade, para não deixar os pratos com gosto forte demais.

Além de dar um sabor delicado e característico aos preparos, o louro é uma erva muito digestiva, com ação carminativa (ou seja, evita a formação de gases), por isso é tão usada em pratos à base de grãos, como lentilhas, grão-de-bico, ervilhas e todo tipo de feijão.

Como é usada em pequena quantidade, não adiciona calorias à receita, mas contribui com muitos compostos bioativos que atuam como antioxidantes, ajudando a combater a inflamação do organismo e o envelhecimento precoce.

Dentre os antioxidantes presentes nessa erva, está o eugenol, um composto fenólico. As folhas de louro são ricas em óleos essenciais, e são eles que carregam a grande quantidade desses compostos bioativos.

O louro é uma dos condimentos mais antigos usados tanto na cozinha como na medicina popular. Em termos de saúde, estudos têm confirmado essas propriedades fitoterápicas, apontando que essa erva, além da importante atividade antioxidante, também age como antimicrobiana, antifúngica, anti-inflamatória e analgésica.

E, de acordo com a crendice popular, ainda é associada à prosperidade, fartura e dinheiro. Também é ligada ao sucesso e à vitória: não por acaso, os heróis de antigamente eram condecorados com coroas de louros pelos seus feitos.

Usos do louro na cozinha

Como afirmei mais acima, o louro é um tempero clássico do feijão e da feijoada, pratos típicos e muito tradicionais em todo o Brasil. Mas também fica uma delícia em pratos à base de arroz (eu uso até no arroz branco, traz um perfume muito bom) e para aromatizar caldos, sopas e ensopados.

Gosto de usar também no molho de tomate, principalmente aqueles que levam carnes vermelhas. E é uma erva que cai bem nas marinadas à base de cebola, alho, pimentas e vinho tinto, usada para carnes que serão assadas por longas horas.

Com cordeiro e carne bovina, o louro combina particularmente bem. Mas nada impede que seja adicionado também ao frango assado (gosto de colocar algumas folhas de louro na cavidade da ave, junto com cebola espetada com cravo e canela, antes de assar), ou mesmo sob a pele do peito de frango.

Só não vale exagerar na quantidade: bastam uma ou duas folhas para aromatizar uma panela de sopa, por exemplo. Se for usada em excesso, o sabor do louro irá predominar e deixar tudo enjoativo.

Outra dica interessante é cortar uma cebola ao meio e tostá-la numa chapa quente. Depois, espetar uma folha de louro em cada metade, usando cravos. Use essa cebola para aromatizar caldos, junto com cenoura picada, alho-poró, salsão e pimenta-do-reino (se tiver aparas de cogumelos e carcaça de frango, use também). A cebola tostada oferece um toque caramelizado e o cravo e o louro emprestam seu aroma e sabor para o preparo, que pode ser usado posteriormente para sopas, ensopados, cozinhar arroz, feijão, fazer picadinhos de carne, etc. Você pode, ainda, usar essa cebola tostada com cravo e louro para aromatizar molho branco, fica delicioso (ainda mais se for finalizado com noz-moscada depois).

Na hora da compra, você pode encontrar as folhas de louro já secas, em embalagens fechadas. Porém, eu prefiro comprar a erva fresca, vendida na feira, ainda com as folhas presas aos galhos. É só deixar o galho inteiro pendurado na cozinha, em algum lugar fresco e seco, até as folhas desidratarem. Quando estiverem perfeitamente secas e quebradiças, retire-as do galho e guarde-as num recipiente bem fechado, ao abrigo da luz e da umidade. Fazendo dessa forma, o louro dura muitos meses na despensa (e as folhas podem ser usadas também enquanto estiverem verdes).

Outra vantagem de usar a erva dessa maneira é que você pode aproveitar os galhinhos frescos ou secos para usar como espetos e assar peixes e camarões. Fica uma delícia e deixa um sabor especial, pois os galhos, assim como as folhas, são bastante aromáticos.

Você gosta de louro? Qual o seu uso favorito para essa erva? Conte para mim! Estou no Instagram, me adicione por lá.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.

Blog Menu do Dia