menu
Topo
Blog Menu do Dia

Blog Menu do Dia

Categorias

Histórico

É possível consumir álcool sem arriscar a saúde?

Luciana Mastrorosa

29/09/2018 04h00

Crédito: iStock

A OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou novo relatório sobre o consumo de álcool no mundo. Os dados chamam a atenção pela proporção dos efeitos das bebidas alcoólicas sobre a saúde global: anualmente, segundo o relatório, 3 milhões de mortes resultam do consumo abusivo de álcool, representando 5,3% das mortes no mundo.

Além disso, o relatório aponta que o uso indevido de bebidas alcoólicas –leia-se, beber demais — é considerado um fator causal para mais de 200 doenças e condições incapacitantes, com impactos importantes sobre a saúde mental e até mesmo a incidência de doenças infecto-contagiosas, como a tuberculose e a Aids, sem contar a dependência da bebida, que provoca danos sociais, familiares, psicológicos e, claro, físicos.

De acordo com os dados do relatório, os homens são mais vítimas do abuso de álcool que as mulheres. Mais de três quartos das mortes relacionadas ao consumo de bebidas alcoólicas é referente aos homens, o que se torna um problema de saúde pública importante. Os dados dos relatório completo podem ser acessados aqui.

E você, sabe se está colocando sua saúde em risco com o consumo de álcool?

É fato que as bebidas alcoólicas fazem parte do hábito alimentar da humanidade há milênios. É parte integrante de festas e celebrações e o consumo responsável de algumas bebidas, como o vinho, podem até trazer benefícios para a saúde a longo prazo, pela presença de polifenóis e antioxidantes, especialmente entre os vinhos considerados naturais, sem a adição de conservantes. Mas é preciso estar atento à quantidade e frequência da presença dessas bebidas em nossas vidas, especialmente entre os mais jovens, quando o hábito de apreciar as bebidas alcoólicas está se desenvolvendo.

Como já contei por aquia OMS recomenda ingerir apenas 30 g de álcool por dia. Se beber uma taça de vinho de apenas 100 ml, por exemplo, estará consumindo 12 g de álcool. Portanto o ideal seria consumir 250 ml de vinho ao dia. Além disso, estudo publicado no The Lancet, prestigiada plataforma de divulgação científica, aponta que não há exatamente um consumo seguro de álcool. O pesquisadores apontam que beber de maneira moderada pode, sim, proteger contra doenças cardíacas, porém o risco de desenvolver câncer e outras doenças pode acabar se sobrepondo a eventuais benefícios.

Quando pensamos na cerveja (com 12 g de álcool a cada lata, cerca de 330 ml) e em bebidas destiladas como vodca e uísque (com alarmantes 25 g de álcool por 100 ml), as quantidades máximas ao dia são, respectivamente, de 825 ml (duas latas e meia) e 120 ml por dia.

Cuidado para não exagerar em um dia só

E não adianta juntar essa quantidade, multiplicar por 7 dias da semana e tomar tudo em um dia só! A OMS considerou, para esse estudo, a frequência das famosas bebedeiras, ou seja, aqueles episódios em que passamos do limite e que, se frequentes, podem dar margem ao desenvolvimento de doenças crônicas e influenciar negativamente a família e a saúde pública, como um todo.

O padrão de alerta para o chamado "heavy episodic drinking", ou episódios de consumo intenso de bebida, é a ingestão de 60 gramas de álcool ao menos uma vez por mês –isso daria em torno de 5 taças de vinho de 100 ml, por exemplo; se o consumo for de bebidas mais fortes, como vodca e uísque, a quantidade de doses que representam risco é ainda menor. Dentre os países que mais apresentam essa ingestão excessiva, a Rússia vem em primeiro, mas o Brasil também está listado entre os países que apresentam essa condição, além de Bolívia, Peru e Paraguaí, para citar alguns países sul-americanos.

A má notícia é que a tendência de previsão de consumo para países como Brasil, México e Estados Unidos, é aumentar, ou seja, é preciso cuidado redobrado e responsabilidade no consumo de álcool para evitar problemas de saúde futuros, com impactos não só pessoais como também de saúde pública. No caso específico do Brasil, por exemplo, o relatório cita que o consumo abusivo de álcool é um dos principais fatores para acidentes de trânsito, e menciona as medidas que o governo tem adotado por aqui para frear essas fatalidades, como o rigor maior em relação à lei seca.

Ou seja: beber é uma delícia, mas com responsabilidade, sempre. E nunca é demais mencionar: se beber, não dirija.

Você consome bebidas alcoólicas? Isso é uma preocupação para você? Conte para mim! Estou no Facebook e também no Instagram.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.