menu
Topo
Blog Menu do Dia

Blog Menu do Dia

Categorias

Histórico

Cinco pratos deliciosos para fazer no frio

Luciana Mastrorosa

04/08/2018 04h00

Moqueca vegetariana do Consulado da Bahia, em SP (foto: divulgação)

Nosso clima é bem instável e varia muito de região para região, mas sempre que as temperaturas caem, a gente tende a querer algo que alimente, mas também conforte. Alimentação saudável não é só salada e verduras, sabemos que uma relação boa com a comida também envolve escolher pratos de acordo com o clima, nosso apetite e diversas outras fomes, como a de aconchego e carinho.

Pensando nessa onda de frio, selecionei cinco pratos que trazem conforto imediato e, ainda, contribuem com uma série de benefícios para a saúde. Para você deixar seu fim de semana mais quentinho e nutritivo:

Sopas, caldos e cremes

O prato campeão dos dias frios são as sopas. Além de serem potencialmente  nutritivas (tudo cabe num prato de sopa), também trazem aquela sensação de conforto imediato. Para enriquecer seu prato, aposte em caldos caseiros como base e complemente com diversos ingredientes substanciosos e ótimos para a saúde, como feijões, ervilhas e grãos, legumes variados (cenoura, batata, tomate, raízes), verduras escuras (couve, acelga, repolho, tudo em tiras finas, adicionadas apenas ao final do preparo) e também um bom punhado de ervas frescas e especiarias para temperar. As sopas podem ser pedaçudas ou batidas no liquidificador para ficarem bem cremosas. Gosto de finalizá-las com um bom azeite de oliva extravirgem, para acrescentar todos os benefícios dessa gordura (e também porque fica irresistível para molhar um pãozinho). Se você tiver apenas batatas, cebola e alho-poró, consegue fazer um creme super nutritivo e ótimo para o jantar, basta refogar todos os ingredientes com um pouco de azeite ou manteiga (junte alho também, se gostar, para um reforço extra na imunidade), deixe dourar bem e cubra com água ou caldo de vegetais ou carnes. Deixe cozinhar por 20 minutos, até as batatas amaciarem, retire as ervas mais duras, como o louro, e bata no liquidificador. Sirva com pimenta-do-reino moída na hora e queijo parmesão ralado.

Picadinho, estrogonofe e carnes ensopadas

Adoro carnes ensopadas e elas são perfeitas para esta época do ano. O tradicional picadinho, com carne fresca e muitos legumes, é ótimo para acompanhar verduras refogadas e arroz. As carnes de panela, que cozinham por horas no forno (ou, mais rapidamente, na pressão) também são perfeitas e riquíssimas em colágeno. Para deixá-las ainda mais nutritivas, abuse dos legumes como pimentão, alho e cebola, tomates e cenouras, nabo… Gosto de complementar com alguma raiz, como mandioca (deixa o caldo bem cremoso) ou ainda batata-doce, cará e inhame. E, por fim, lembremos sempre do nosso estrogonofe. Todo mundo tem uma receita para esse prato, eu curto fazer com cogumelos frescos, ricos em proteínas e umami natural, e também de usar creme de leite fresco, pois traz sabor e uma textura melhor para o prato. Se você for vegetariano, dispense a carne e use vários tipos diferentes de cogumelos, como champignon, shiitake, shimeji… O truque é refogar bem os ingredientes com manteiga, alho, cebola e um pouco de vinho branco, ou conhaque, antes de acrescentar o creme de leite. Eu sei que a receita tradicional não leva tomates, mas prefiro colocar alguns tomates frescos, sem pele e sem sementes, para trazer cor, sabor e nutrientes (tomate é rico em licopeno, um potente antioxidante). Na hora de servir, acompanhe com batatas assadas com azeite, dentes de alho inteiros e ramos de alecrim e tomilho.

Purês variados

Purê de batata é uma "comfort food" por excelência. Eu, nos meus dias de mau humor ou coração partido, gosto de comer purê de batata porque é rápido de fazer e traz um aconchego imediato, com pedacinhos de manteiga por cima, derretendo. A coisa mais simples do mundo é esta receita: cozinhe rapidamente as batatas picadas, sem casca, em pouca água com uma pitada de sal, até ficarem macias. Depois, esprema as batatas ou amasse-as com um garfo até deixá-las bem fofas. Acrescente manteiga, ghee ou azeite, um pouco de leite integral, leite vegetal ou creme de leite e volte ao fogo baixo, mexendo sempre para obter uma textura bem macia e delicada. Costumo usar um pouco da água do cozimento das batatas para deixar o purê mais fluido. Ajuste o sal e complemente com os temperos que preferir – tem gente que coloca alho assado, fica rústico e bem gostoso também. Eu não abro mão da pimenta-do-reino, branca ou preta, e um fio extra de azeite na hora de servir. Da mesma forma, você pode fazer purê de abóbora cabotiá, batata-doce, inhame, mandioca e até banana-da-terra.

Polenta e molhos suculentos

Chegar em casa à noite, no maior friozão, e comer um prato de polenta mexida na hora, ainda molinha, com molho e queijo… É puro amor. A polenta é muito fácil de fazer, basta usar fubá de milho, água e muita paciência para ficar mexendo o tempo todo até obter um creme dourado (use sempre fogo baixo e uma colher bem longa, porque a polenta espirra muito quando está cozinhando). Para trazer mais sabor e nutrientes, use caldos caseiros no lugar da água e acrescente um pouco de manteiga, queijo parmesão ralado na hora e até um pouco de leite ou creme (animal ou vegetal) para encorpar. Se fizer apenas com água, a polenta ficará dura depois de fria (dá para comer assim mesmo ou fritá-la em óleo bem quente e servir como petisco). Para acompanhar, o molho é fundamental. Os ragus de tomate e carnes são perfeitos e ficam ainda mais ricos com uma base de cenoura, cebola e salsão bem picadinhos. Deixe cozinhar por bastante tempo, acrescentando água de vez em quando, se necessário, até ficar bem suculento. Outra opção é servir a polenta apenas com um molho simples de manteiga, folhas de sálvia fresca e pimenta-do-reino ou calabresa, polvilhadas sobre o prato, ou um ragu de cogumelos com alho, cebola, vinho branco, ervas frescas e um pouquinho de creme de leite.

Moqueca de todo tipo

Um prato bem típico brasileiro e que cai muito bem neste tempo frio é a moqueca. Com ou sem azeite de dendê, com ou sem coentro, o importante é fazer um cozido, tradicionalmente de peixes e frutos do mar, ou até de banana-da-terra, numa versão vegetariana, cheio de ervas frescas, cebola, alho, pimenta, para trazer calor. Gosto de servir a moqueca com bastante salsinha, cebolinha e coentro picados, que contribuem com frescor e todos os benefícios que essas ervas acrescentam, de antioxidantes a vitaminas e minerais. Além disso, se fizer um caldo de peixe com as cabeças e espinhas, use-o para mexer um pirão, engrossando o caldo (previamente coado e livre de espinhas) com farinha de mandioca de boa qualidade. Peguei uma receita deliciosa com o restaurante Consulado da Bahia, em São Paulo, que entende bem desse assunto. A moqueca vegetariana, novidade no cardápio deles, leva banana-da-terra e uma enorme quantidade de legumes, até brócolis e chuchu. Perfeito para acrescentar mais vegetais à dieta, mas com muito mais sabor (e a tradição brasileira junto, claro). Veja como fazer:

Moqueca vegetariana, do Consulado da Bahia
Rendimento: 2 porções

Ingredientes:

Molho:

6 tomates maduros
2 cebolas
1 colher (sopa) de óleo de girassol
Água quanto baste

Moqueca:

1 batata
1 cenoura
1 chuchu
2 bananas da terra (médias)
150 g de brócolis
3 colheres (sopa) de azeite de dendê
250 ml de leite de coco
2 tomates em rodelas
1 cebola em rodelas
Coentro a gosto
Sal a gosto

Modo de preparo:

Para o molho, corte os tomates e as cebolas em 4 partes. Cozinhe-os em uma panela com água fervente e o óleo por 10 minutos. Escorra os legumes e bata-os no liquidificador até obter textura de molho. Coe e reserve.

Para a moqueca, cozinhe a batata, a cenoura, o chuchu e o brócolis em um pouco de água, até ficarem macios. Escorra e reserve. Coloque o molho de tomate já preparado, o leite de coco, o dendê, o coentro e um pouco de sal numa panela, de preferência de barro. Misture bem, leve ao fogo e, depois que ferver, deixe encorpar por 10 minutos. Na sequência, acrescente os legumes previamente cozidos, a banana-da-terra em pedaços e finalize com rodelas de tomate e cebola bem finas. Cozinhe em fogo baixo por mais 10 minutos e sirva. O restaurante prefere usar a flor do dendê, que é mais leve que o azeite de dendê tradicional.

E você, o que considera comida de conforto quando as temperaturas caem? Conte para mim! Estou no Facebook e também no Instagram.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.