Topo
Blog Menu do Dia

Blog Menu do Dia

Categorias

Histórico

Inove no nhoque com mandioquinha, inhame e banana da terra

Luciana Mastrorosa

06/06/2019 04h00

Crédito: iStock

Nesta época mais fria do ano, nhoque sempre cai bem. Além do tradicional, feito de batata, é possível inovar com outros ingredientes como inhame, batata doce e até banana da terra. Esses alimentos, além de trazer variedade, ainda contribuem com uma série de nutrientes e fibras que ajudam a manter a saúde em dia.

O nhoque é, basicamente, composto por um ingrediente de base – tradicionalmente, a batata – e um ovo, um pouco de farinha e água se necessário. É preciso haver equilíbrio entre os ingredientes para que as bolinhas não fiquem duras. Como é cozido em água, o nhoque também é leve e de fácil digestão.

Trago abaixo algumas alternativas para variar nesta receita básica italiana:

Banana da terra

Esse tipo de banana não é muito agradável de se consumir crua. Porém, depois de cozida, assada ou frita, a banana da terra se transforma: sua cor fica dourada, a textura amacia e o sabor fica mais doce. Para transformá-la em purê, cozinhe-a em água fervente por alguns minutos ou asse-as em forno brando até ficarem macias. Depois, amasse-as com um garfo, adicione um ovo e um tantinho de farinha, só até dar liga, e molde os nhoques. Vale cozê-los em água fervente, como todo nhoque, até subirem à superfície da panela, ou grelhá-los em frigideira quente, com um fio de óleo, o suficiente para que dourem. Depois, é só acrescentar o molho de sua preferência e servir. Neste caso, gosto de usar pesto de manjericão ou molho branco. Além disso, a banana é rica em fibras, que auxiliam o bom funcionamento intestinal, e também contribui com bastante potássio, o que favorece os hipertensos e praticantes de atividades físicas, evitando câimbras.

Batata doce

Assim como ocorre no caso da banana da terra, o nhoque de batata doce é um pouco mais doce no paladar do que o tradicional, de batata. Porém, a textura, neste caso, fica bastante parecida com a receita original. O modo de preparo é o mesmo relatado acima. Basta cozinhar bem as batatas doces, com ou sem casca, e transformá-las em purê antes de fazer a mistura. Controle o sal, pois, como a batata doce tem um paladar mais adocicado, é comum tentarmos compensar na hora de adicionar o sal. A batata doce é rica em fibras e tem índice glicêmico menor que o da batata comum, ou seja, ajuda a controlar a glicemia, liberando o açúcar aos poucos. Se tiver acesso a batata doce roxa, além desses benefícios e da cor linda, ainda terá um aporte de antocianinas, que contribuem com efeito antioxidante, evitando a inflamação no organismo e contribuindo para evitar as doenças crônicas não transmissíveis, como doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes.

Inhame

De casca escura e polpa muito branca, o inhame adquire uma consistência macia e cremosa, acinzentada, depois de cozido. Pode usá-lo em substituição à batata para fazer o nhoque, controlando bastante a quantidade de farinha utilizada, para não ficar duro. O inhame é riquíssimo em fibras, ajudando a manter a saúde intestinal e, também, a trazer maior sensação de saciedade, auxiliando os que estão em dietas para perder peso. Além disso, é rico em vitamina B6, que contribui para manter a saúde dos cabelos, e vitamina A, que ajuda a proteger a visão e a pele.

Mandioquinha

Essa raiz é uma delícia! Delicada, macia, bem amarela e cremosa, a mandioquinha é ótima fonte de nutrientes (e sabor!) para pessoas de todas as idades. E também fica incrível na forma de nhoque. De casca fina e delicada, que basta ser raspada com uma faquinha para ser extraída, a mandioquinha precisa de poucos minutos de cozimento em água fervente para ficar bem macia. Use-a para fazer o seu nhoque, controlando bem a quantidade de farinha, para as bolinhas não ficarem duras, e contribua para sua saúde com fibras, carboidratos de liberação lenta (excelente para os diabéticos) e vitaminas como A, C e do complexo B. Seu sabor é menos adocicado que o da banana da terra e o da batata doce, então cuide para regular a quantidade de sal empregado na receita. O molho que mais gosto de usar para o nhoque de mandioquinha (batata baroa ou batata salsa) é o pesto, feito de manjericão e outras ervas frescas, mas também fica uma delícia com molho de tomates fresco, rico em licopeno (poderoso antioxidante) e manjericão.

Abóbora

A abóbora cabotiá, de casca verde e polpa bem alaranjada, é rica em carotenoides, que são antioxidantes naturais e precursores de vitamina A no organismo. Esse tipo de abóbora é o mais indicado para fazer nhoque, pois tem menos água que os demais tipos de abóbora, além de ter um sabor delicioso e textura sedosa. Nesse caso, gosto de servir o nhoque com molho de manteiga (rica em vitamina A) e folhas de sálvia frescas, fritas na mesma manteiga. A sálvia é uma erva cheia de sabor e aroma e ainda contribui com fibras e antioxidantes. Faça um purê bem seco com a abóbora antes de moldar os nhoques com ovo e um pouco de farinha. Controle o sal e tempere com um mix de pimentas branca e preta moídas na hora, que, além do sabor e perfume, ajudam na absorção de outros nutrientes.

Você gosta de nhoque? Faz o tradicional, de batata, ou inova com outros ingredientes? Conte para mim! Estou no Facebook e também no Instagram.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.