PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Bom para doces, marmelo é rico em fibras e está na safra, veja como fazer

Luciana Mastrorosa

23/01/2020 04h00

Crédito: iStock

Certamente, em algum momento da sua vida, você já comeu marmelada. Mas, alguma vez, já viu um marmelo in natura? Pois este é o momento ideal para isso: a fruta está na safra durante este mês. Se você encontrar um marmelo na feira ou mercado, vale a pena comprar ao menos para prová-lo e sentir seu aroma marcante, bastante floral. Porém, não pense em lavar a fruta e dar uma dentada em sua polpa, envolta por uma casca amarela que pode puxar para o esverdeado: quando fresco, o marmelo é muito duro, ácido e adstringente, principalmente pela marcada presença de taninos. Ou seja, nada agradável para o consumo. No entanto, quando a fruta é cozida, de preferência com açúcar e especiarias, tudo nela se transforma: a polpa, antes branca, adquire tons rosados; o perfume floral se mantém, mas a doçura se sobrepõe a uma agradável acidez, e o forte adstringente vai embora.

Não por acaso, o marmelo é o rei das frutas para preparar na forma de doces em pasta, como a marmelada. Até meados do século passado, o Brasil foi um grande produtor de marmelo (existe até uma cidade, em Minas Gerais, chamada Marmelópolis, que, como o nome indica, floresceu devido ao cultivo desse fruto). Porém, com o tempo, os gostos e tradições alimentares foram mudando e o marmelo acabou perdendo um pouco de seu prestígio inicial. Hoje em dia, é mais difícil encontrar a marmelada artesanal, cujo sabor é muito superior ao daqueles doces preparados industrialmente.

O que é uma pena, pois sabor do marmelo  é maravilhoso em doces em calda, em pasta ou mesmo como geleia e na forma de xaropes. Também tem uso na fitoterapia, por conta da presença de compostos bioativos, como polifenóis. As sementes são usadas em infusão ou em decocção (proporção de uma a três sementes por xícara de água), no combate a tosse, dor de estômago e até diarreia.

Rico em pectina, que é um tipo de fibra solúvel, o marmelo também ajuda a trazer consistência para outras geleias e preparos, além de favorecer a saúde gastro-intestinal. É parente da pera e da maçã e seu aroma de rosas é marcante e continua agradável depois de cozido.

Quando fresco, é rico em vitamina C, que acaba por se deteriorar um pouco durante o processo de cocção. Mas, mesmo na forma de doce, preserva uma boa dose de fibras e de minerais como potássio (importante para a manutenção da pressão arterial), cálcio e fósforo (fundamentais para a preservação de ossos e dentes) e, ainda, magnésio (que atua no bom funcionamento metabólico).

O marmeleiro é proveniente da região do Cáucaso, mas difundiu-se pela Europa Central e pelos países mediterrâneos. Consumida há milênios, na Antiguidade essa fruta era considerada símbolo de fortuna, fertilidade e amor. Até hoje, em Portugal, a marmelada é um doce muito apreciado, assim como as geleias, caldas e xaropes feitas com esse fruto.

Marmelo: como preparar

Se você tiver a sorte de encontrar marmelos maduros, de casca bem amarelinha (recoberta, algumas vezes, por uma delicada penugem), lave-os bem e seque-os. As cascas e os miolos podem ser usados para preparar pectina, cozendo-se com um pouco de líquido. Esse líquido ficará viscoso e você poderá usá-lo para fazer geleias com outras frutas.
Uma forma simples de provar todo o sabor do marmelo é cortá-lo em fatias e cozinhá-lo em água com um pouco de açúcar e especiarias. Neste caso, gosto de usar a canela e o cravo. Faça uma calda rala e adicione os marmelos. Cozinhe a fruta nessa calda até ficar macia, quase translúcida, e adquirir um tom rosado. Deixe esfriar e sirva como sobremesa ou acompanhando fatias de queijo, fica delicioso (com queijo cremoso, tipo requeijão, também é ótimo – e acrescenta-se ainda um pouco mais de cálcio à refeição).

Outra forma de preparar a fruta é na famosa marmelada. Para isso, use 1 quilo de marmelos para cerca de 700 gramas de açúcar. Se gostar mais doce, pode colocar um pouco mais de açúcar. Complete com 1 colher (sopa) de suco de limão e 1/2 xícara (chá) de água. Retire os miolos do marmelo antes de levar ao fogo. Cozinhe todos os ingredientes juntos até amaciar a fruta. Então, bata tudo no liquidificador e coe em uma peneira para remover as partes mais duras e pedacinhos de casca. Volte o líquido ao fogo e mexa bem, mantendo a temperatura baixa, até ficar bem cremoso. Teste o ponto colocando um pouquinho do doce num pratinho. Se firmar, está pronto. Despeje em recipientes refratários e deixe esfriar antes de comer. É uma delícia, sem conservantes e dura por vários dias na geladeira, pois o açúcar age como um conservante natural.

Para os que gostam de molhos agridoces, vale cozinhar pedaços pequenos de marmelo com um pouco de açúcar, folhas de hortelã, uvas passas e um pouco de mel e vinagre. Deixe apurar, amasse os marmelos e, se necessário, complemente com um pouco de manteiga e gotas de limão. Esse molho pode ser servido morno ou quente sobre assados e fica particularmente bom com carnes de aves e de porco.

Você gosta de marmelo? Costuma usar a fruta quando está na época? Conte para mim! Estou no Instagram, me adicione por lá.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.

Blog Menu do Dia