Topo
Blog Menu do Dia

Blog Menu do Dia

Categorias

Histórico

Não gosta de alho e cebola? Veja alimentos que temperam sem gosto forte

Luciana Mastrorosa

18/07/2019 04h00

Crédito: iStock

O alho e a cebola são uma dupla inseparável na cozinha, usados para temperar quase tudo. E, como já contei aqui neste post, são alimentos que fazem muito bem à saúde, reforçando a imunidade e ajudando a controlar a glicemia. Porém, apresentam sabor muito forte e característico, que incomoda a algumas pessoas, deixam cheiro nas mãos ao serem picados e, ainda, podem ser indigestos para outros indivíduos, principalmente se ingeridos na forma crua. Se você se enquadra nessas situações, mas gosta de deixar sua comida temperada e cheia de nutrientes, vale apostar em outros temperos que lembram o sabor do alho e da cebola, porém com muito mais delicadeza.

Dentre eles, estão o alho-poró, a cebolinha verde e o nirá. Abaixo, falo um pouco de cada um deles e como você pode usá-los para deixar sua comida mais gostosa e nutritiva:

Alho-poró

Embora seu nome seja alho-poró, seu sabor é mais parecido com o da cebola. Não é algo inusitado, pois tanto o alho-poró quanto a cebola, o alho e a cebolinha pertencem à mesma família e dividem alguns elementos em comum, como o enxofre. É ele que dá um aroma característico a esses alimentos, além de exercer função cardioprotetora. Porém, no caso do alho-poró, seu sabor é muito delicado, especialmente depois de cozido. Com a vantagem de que, ao ser cortado, não deixa aquele cheiro forte nas mãos, como seu primo alho. Mas, apesar de mais leve no paladar, o alho-poró também contém alicina, um composto presente no alho, que ajuda a reduzir o colesterol, protege contra lesões e favorece a circulação sanguínea. Rico em fibras, o alho-poró exerce leve efeito laxativo e ajuda a desinchar.
Em termos nutricionais, o alho-poró não perde para o alho e a cebola. Fornece minerais como cálcio e fósforo, fundamentais para a saúde de olhos e dentes, potássio, bom para os hipertensos, e ainda vitamina C e carotenoides, que atuam como antioxidantes, prevenindo doenças crônicas e protegendo pele, cabelos e olhos. Como é rico em prebióticos, ajuda a proteger o organismo contra diarreias e ajuda na absorção de outros nutrientes.

Na cozinha, o alho-poró pode ser usado como substituto do alho e da cebola em refogados e bases para cozimento de sopas, feijão, ensopados de grãos, arroz, etc. Pode ainda entrar como ingrediente principal, principalmente em sopas com batatas e outros tubérculos e raízes, ou também assado com manteiga, vinho branco, queijo ralado, creme de leite… Depois de cozido, fica macio e com textura amanteigada, com gosto suave. Fica uma delícia servido com carnes, aves e peixes. Se costuma assar filés de pescados em papillote (dentro de um envelope de papel alumínio ou papel-manteiga), use alho-poró fatiado para temperar, junto com uma pitada de sal e de pimenta e uma colher (sopa) de algum líquido para cada envelope, como vinho branco, saquê, caldo caseiro ou mesmo água.

Cebolinha

Eis uma erva coringa na cozinha e que não decepciona em aroma e sabor. No paladar, a cebolinha lembra a cebola, mas de maneira muito mais sutil, com um toque herbáceo. Além disso, não deixa aquele gosto forte na boca, como ocorre quando consumimos a cebola crua. É fonte de luteína, assim como a salsa, que ajuda a proteger a saúde dos olhos. Também fornece uma boa quantidade de cálcio, ajudando a combater a osteoporose. Da mesma forma que o alho-poró, a cebolinha é rica em fibras, favorecendo o bom funcionamento do sistema digestório como um todo.

Em termos de cozinha, prefiro usar a cebolinha para finalizar os pratos. De textura bem mais delicada que o alho-poró, seu sabor e textura se perdem um pouco com longos cozimentos. Porém, pode ser usada como tempero em marinadas de carnes bovina e suína, aves e pescados. Picada finamente, é uma delícia para complementar o sabor de sopas e caldos, acrescentando vitaminas e minerais e trazendo um sabor fresco e delicado, além de uma textura agradável ao se mastigar. A cebolinha não é tão versátil quanto o alho-poró em termos de uso como ingrediente principal, mas fica particularmente boa para incrementar pratos com ovos, como omeletes e suflês. Também é ótima para temperar patês de queijos, cremes, maionese e legumes. No mercado, encontram-se principalmente dois tipos de cebolinha: a tradicional, mais longa e de talos mais grossos, e a ciboulette, bem fina e delicada, mais usada para finalizações, com sabor suave e agradável. Fica ótima também em patês e para envolver queijos cremosos (só fazer bolinhas com o queijo cremoso e passá-las na ciboulette picada).

Nirá

Este é um alimento menos conhecido, mas muito delicioso, e que poderia muito bem ser popularizado. O nirá, também conhecido como cebolinha chinesa, cebolinha japonesa ou alho japonês, é da mesma família do alho-poró, da cebolinha, do alho e da cebola. Por isso, possui alguns dos mesmos elementos favoráveis à saúde, como os compostos sulfurosos. Porém, tem uma particularidade: diferentemente da cebolinha e do alho-poró, o nirá tem um sabor que lembra mais o alho do que a cebola, muito mais delicado e sem deixar cheiro nas mãos. Suas folhas são longas e finas, lembrando o aspecto da cebolinha, e suas flores pontudas e amareladas também são comestíveis.

Mais usado nas cozinhas orientais, o nirá também é empregado na medicina popular. Atribui-se a essa planta efeitos regenerativos e depurativos, além de cicatrizantes (por isso, pode agir favoravelmente no combate a gastrites e inflamações do estômago). Além disso, ajuda a combater a hipertensão e contribui para uma boa circulação sanguínea. Possui minerais importantes para a saúde, como o cálcio e fósforo (bons para os ossos), o ferro (para evitar a anemia) e ainda o zinco (que atua, dentre outras funções, sobre o sistema imune). Na Medicina Tradicional Chinesa, é usado como tratamento para combater a impotência sexual masculina. Como também possui alicina, apresenta funções antimicrobianas, por isso é excelente para usar no tempero de marinadas e no preparo de maioneses e outros patês à base de ovos, cremes e queijos.

Em termos culinários, o nirá fica delicioso em omeletes. Basta picá-lo miúdo e refogá-lo com azeite, manteiga ou outra gordura de sua preferência antes de adicionar os ovos batidos. Fica ótimo também como tempero para carnes e aves, principalmente os salteados com legumes e cogumelos (com shoyu, combina muito bem). Use-o para trazer um gostinho de alho bem suave a sopas, ensopados, cremes e outras comidas com caldos. Fica muito bom refogado com outras verduras, como escarola, brócolis, couve, folhas de mostarda e catalônia, etc. É mais fácil de encontrar em feiras livres e em mercados de produtos orientais e seu preço se assemelha ao do alho-poró.

Você gosta de alho e cebola? O que usa para substituir esses temperos? Conte para mim! Estou no Instagram, me adicione por lá.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.