Topo
Blog Menu do Dia

Blog Menu do Dia

Categorias

Histórico

Farinhas de frutas e legumes são fontes de minerais e dão saciedade

Luciana Mastrorosa

15/08/2019 04h00

Crédito: iStock

O aproveitamento total dos alimentos é uma tendência não apenas no sentido de evitar o desperdício como também para que sejam extraídos o máximo de benefícios dos ingredientes. Assim, há uma série de produtos que passam por pouco processamento, sem conservantes nem corantes, e que podem ser incorporados na dieta diária, trazendo mais nutrientes e variedades. Já ouviu falar em farinhas de frutas e legumes? Uma visita à Zona Cerealista de São Paulo, por exemplo, mostra que existe muito mais do que farinha de trigo: tem as de maracujá, berinjela, beterraba… Cada qual com uma propriedade diferente. E que podem contribuir com itens importantes para a dieta, como fibras em abundância, minerais e antioxidantes.

As farinhas que conhecemos são obtidas geralmente de cereais, como trigo, milho, centeio e aveia. Há ainda aquelas feitas com grãos, como feijão branco e grão-de-bico; frutas, como a de banana verde; ou até mesmo folhas, como espinafre e couve. Aqui, selecionei três tipos mais comuns e de bom preço que podem ser encontrados a granel nos grandes mercados. Todas elas são reconhecidas fontes de fibras, ajudando a controlar a glicemia, reduzir o colesterol e ajudar a prolongar a saciedade. Podem ser usadas em receitas variadas, inclusive para idosos e crianças. Como sempre lembro aqui, vale conversar com seu médico ou nutricionista para ver qual a quantidade ideal para seu organismo, mas, de toda forma, elas podem ser incluídas como ingrediente culinário com ganho em nutrientes e sabor. Conheça abaixo algumas das farinhas diferentes disponíveis no mercado:

Farinha de maracujá

Como já mencionei por aqui, o maracujá –esta fruta perfumadíssima e que vai muito bem em diversas receitas de doces e salgados – é calmante e ajuda a controlar o colesterol e a regularizar a glicemia. Hoje em dia, a parte branca da casca da fruta tem sido utilizada na produção de farinha, tanto vendida para o consumidor final, quanto empregada pela indústria para enriquecer outros produtos alimentícios, como biscoitos e bolos.

A farinha de maracujá pode ser incorporada na alimentação dos que desejam aumentar o consumo de fibras e também promover uma sensação maior de saciedade. As fibras, com já mostrei neste post, podem ser classificadas como solúveis ou insolúveis. As primeiras ajudam a retardar a passagem intestinal, o esvaziamento gástrico e a absorção da glicose, ajudando a reduzir o colesterol sanguíneo. Já as insolúveis atuam principalmente no movimento intestinal, acelerando o trânsito, aumentando o volume das fezes e produzindo uma desaceleração na hidrólise da glicose. Isso tudo contribui para o bom funcionamento do organismo, em geral, e, ainda, para evitar ou proteger o corpo contra doenças crônicas não transmissíveis, inclusive algumas doenças do cólon. Uma ingestão elevada e saudável de fibras pela dieta ajuda a reduzir também a pressão sanguínea e a controlar o peso. É sempre importante lembrar que, ao aumentar a ingestão de fibras, deve-se também aumentar o consumo de água. Hidratar o corpo é fundamental.

A farinha da casca de maracujá é rica em pectina, tipo de fibra solúvel que forma um gel em contato com a água. Também possui minerais como ferro, que combate a anemia; cálcio e fósforo, que protegem os ossos; e potássio, que auxilia os hipertensos; além de vitaminas do complexo B, como a niacina, que atuam no metabolismo.

A farinha da casca de maracujá pode ser adicionada a sucos, vitaminas, mousses e sorvetes ou ainda para preparar biscoitos, bolos e cupcakes, aumentando consideravelmente o teor de fibras desses alimentos. Como é naturalmente sem glúten, pode ser utilizada em misturas com outras farinhas para se obter um pão mais fofinho e crescido, como a de trigo, usada tradicionalmente para o preparo de pães.

Na hora de comprar, certifique-se de adquirir um produto puro, sem misturas, em pequenas quantidades, para que se mantenha sempre fresca.

Farinha de berinjela

A berinjela é um tipo de legume muito versátil, saboroso e que ajuda a controlar o colesterol e a auxiliar os que estão em dietas de emagrecimento, pois ajuda também a reduzir a gordura no sangue. Tanto in natura quanto na forma de farinha, a berinjela é rica em fibras, promovendo o aumento da saciedade e melhorando a digestão e o trânsito intestinal.

Alguns estudos compararam a farinha de trigo com a farinha de berinjela e verificaram uma presença maior de proteínas, fibra alimentar e açúcares na farinha obtida do legume. A maioria das fibras presentes nesse tipo de alimento é solúvel – para o preparo de receitas, mesmo com o uso da farinha de trigo junto, observou-se um aumento de nutrientes nessa farinha mista, com melhor absorção de água (por conta da presença das fibras solúveis em grande quantidade na berinjela), fazendo com que pães elaborados com essa farinha mista tenham maior rendimento e um teor maior de fibras depois de prontos.

Além disso, a farinha de berinjela ainda preserva outros elementos do legume in natura, como niacina, vitamina que contribui para o metabolismo, e flavonoides, antioxidantes que evitam a inflamação do organismo. Recomenda-se a ingestão da farinha de berinjela acrescentando-a a iogurtes, saladas, saladas de frutas, ou usada como ingrediente no preparo de bolos, pães e massas. Seu sabor é neutro e não deixa gosto residual do legume nas receitas.

Farinha de beterraba

Outro legume excelente para a saúde e muito saboroso, além de ter uma cor belíssima, é a beterraba. E, adivinhe, ela também pode ser transformada em farinha, com a contribuição de diversos nutrientes e compostos bioativos para o organismo. Um dos principais benefícios é a sua cor, que traz um rosado natural para bolos, biscoitos e pães, as crianças adoram.

A farinha de beterraba, além de ser um corante natural, também oferece proteínas, um alto teor de fibras e diversos minerais. Estudos mostram que esse alimento apresenta cerca de seis vezes mais cálcio e magnésio que a farinha de trigo, com destaque especial para o potássio, que é realmente abundante na farinha de beterraba. Outros estudos apontam que o processo de secagem do legume, para obtenção de farinha, concentra os minerais naturalmente presentes na beterraba in natura. Assim como ocorre com as demais farinhasde frutas e legumes que mencionei acima, o sabor da farinha de beterraba é neutro, mas sua cor é intensa, deixando massas, pães, bolos e cremes com um tom rosado/avermelhado agradável. Essa coloração bastante pigmentada é fonte de betanina, um potente antioxidante, com ação anticâncer.

A farinha de beterraba fica uma delícia no preparo de bolos, panquecas e cupcakes, principalmente se associada ao chocolate ou cacau em pó. Também é ótima para o preparo de massa de macarrão ou para incrementar a tapioca.

Assim como no caso das outras farinhas, certifique-se de comprar esse produto em casas especializadas, que garantam que não haja misturas nem adição de corantes artificiais. O melhor é sempre comprar em pequenas quantidades e ir usando conforme a necessidade. Se gostar, adicione 1 colher de sopa da farinha de beterraba aos sucos e vitaminas ou para enriquecer o leite quente (ou leite de vegetais).

Você já conhecia essas farinhas? Costuma consumi-las? Conte para mim! Estou no Instagram, me adicione por lá.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.