PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Gosta de comida mexicana? Temos 4 receitas para fazer bonito em casa

Luciana Mastrorosa

27/06/2020 04h00

Crédito: iStock

A cozinha mexicana é muito tradicional e uma das mais antigas do mundo. Dois produtos são muito emblemáticos nas receitas dessa culinária: o milho e as pimentas, ambos de diversos tipos, cores e tamanhos.

Por aqui, é mais comum termos acesso à cozinha "tex-mex", uma versão mais americanizada, por assim dizer, de pratos muito típicos do México, mas não menos saborosos que os originais.

Seguindo nossa série de comida internacional para fazer em casa, trago hoje algumas receitas muito fáceis de fazer, saborosas e nutritivas, como a guacamole, as quesadillas, as carnitas e a salsa mexicana. Algumas delas, aprendi com o chef mexicano Hugo Delgado, da Taqueria La Sabrosa, de São Paulo, num curso de cozinha. Fiz pequenas alterações de acordo com meu paladar. Outras, fui aprimorando ao longo do tempo, mexendo numa coisa aqui, outra ali, até ficar do meu gosto. Você pode fazer o mesmo: se não gosta de pimenta, só omitir da receita. Se gosta mais picante, coloque mais desse tempero.

Uma das características de que mais gosto na culinária do México é o frescor. Por isso, pratos como a guacamole ficam bons se preparados no dia e consumidos rapidamente. O abacate oxida muito rápido e, depois de algumas horas, ou de um dia para o outro, o prato perde seu frescor.

Outras comidas ficam bem congeladas, como é o caso das carnitas, feitas basicamente de carne de porco e suco de laranja. Você pode improvisar e usar diversos cortes suínos, aqueles que forem mais saborosos ou acessíveis. Vamos lá?

Guacamole

Essa é uma receita clássica e muito saborosa da culinária mexicana, à base de abacate (ou avocado) bem maduro, tomates, cebola, alho, pimenta e coentro. É rica em gorduras de boa qualidade, provenientes do abacate, e traz todas as vitaminas, minerais e compostos bioativos dos legumes. De quebra, ainda é temperada com suco de limão (e, no caso da minha receita, com azeite de oliva), que agregam vitamina C, ótimo reforço pro sistema imunológico e para prevenir o envelhecimento precoce, e os ácidos graxos mono-insaturados do azeite – somados aos do abacate, dão uma força e tanto para o sistema cardiovascular.

Para preparar essa delícia, uso 1 abacate maduro pequeno ou ½ abacate grande. Importante que esteja bem maduro e molinho, pois a polpa será amassada com um garfo. Coloco o abacate numa tigela e adiciono 1 tomate grande picado, sem as sementes, ½ cebola roxa pequena cortada em cubinhos e suco de 1 limão. Então, acrescento 1 dente de alho bem picadinho, 2 colheres (sopa) de azeite de oliva, 1 punhado de coentro fresco picado (com talos e tudo), e agrego ½ pimenta dedo-de-moça picadinha. Costumo tirar as sementes, pois prefiro uma picância suave.

Só misturar tudo, temperar com sal a gosto e ajustar os ingredientes de acordo com sua preferência. Costumo servir com nachos, aqueles salgadinhos de milho, crocantes, sem tempero. É delicioso e uma entrada perfeita para servir para a família.

Salsa mexicana

Esta salsa é parecida com o nosso vinagrete. Quando preparos os pratos mexicanos ou "tex-mex", faço de uma tacada só, ou seja, a refeição é toda composta por essas receitas, que podem ser intercambiáveis. Se você comprar tacos prontos (as "barquinhas" de milho crocante), pode recheá-las com as carnitas (receita mais abaixo), ou chili com carne (que já ensinei por aqui) e complementar com guacamole, esta salsa e o que mais desejar. Eu adoro, e cada um monta o seu. Pode servir molhinhos mais picantes para os que adoram uma pimenta.

Para a salsa, uso 2 pepinos japoneses, sem casca, cortados em cubinhos. Misturo numa tigela com 3 tomates maduros, mas firmes, cortados em cubos (sem as sementes). Agrego 1 ramo grande de coentro fresco (ou salsinha, se não gostar de coentro), e tempero com 3 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem, suco de 1 limão e sal a gosto. Se gostar, pode colocar pimenta jalapeño, fresca ou em conserva, picadinha, ou mesmo a dedo-de-moça. Outra opção é temperar com pimenta-do-reino preta moída na hora ou mesmo pimenta calabresa em flocos. Ajuste os temperos e sirva como acompanhamento para os demais pratos.

Gosto desta receita porque, além de ser deliciosa e fresca, é rica em vitaminas, minerais e antioxidantes. O tomate fornece o licopeno, que ajuda a proteger o organismo de doenças crônicas, e o pepino é baixíssimo em calorias e ligeiramente diurético. As pimentas aceleram o metabolismo e, no caso da pimenta-do-reino, ela ainda contribui para a absorção de nutrientes dos demais ingredientes.

Se gostar, pode adicionar cebola branca ou roxa bem picadinha. Eu prefiro sem, mas vai do gosto. A cebola e o alho também ajudam a reforçar a imunidade.

Carnitas

Esta é uma receita que tem ótimo rendimento e é perfeita para servir a grupos maiores. Caso você esteja sozinho e quarentenado, pode fazer e congelar o excesso, ela descongela e fica deliciosa depois de reaquecida.

Pode ser preparada com diversos cortes suínos. Costumo usar o lombo, com a gordura. Mesmo com a capa de banha, ainda é uma carne magra. A receita original leva bastante banha, mas adaptei para fazer com azeite ou óleo vegetal. Mas, se quiser, nada impede de usar a banha, só acho difícil encontrar por aqui uma de qualidade, fresca, sem ser industrializada demais.

Use 1,5 kg de lombo de porco cortado em cubos. Na panela de pressão, ferva 4 xícaras (chá) de água (ou mais, se necessário) com ½ cabeça de alho picado (sim, é isso mesmo, mas não fica com gosto enjoativo de alho). Quando ferver, acrescente o porco picado, mais 2 cebolas grandes cortadas em cubos (neste caso, prefiro a branca ou a amarela), 4 folhas de louro, 3 ramos de tomilho fresco (se não tiver, adicione 1 colher de sopa de orégano ou manjerona secos) e 3 ramos de alecrim fresco. Tempere com um pouco de sal. Quando ferver, tampe a panela, abaixe o fogo e cozinhe por 30 minutos, sem a pressão (use uma tampa de panela comum).

Então, acrescente 3 xícaras (chá) de suco de laranja e 1 xícara (chá) de suco de limão. Corrija o sal e tempere com pimenta-do-reino moída na hora. Adicione 1 xícara (chá) de banha de porco, azeite de oliva ou óleo vegetal. Cozinhe por mais 30 minutos, contados a partir da pressão, até a carne ficar macia, desmanchando, e formar um molho suculento. Se precisar, adicione um pouco mais de suco.

Quando estiver no ponto, observe o sal e a pimenta-do-reino e sirva como recheio de tacos e tortillas, para comer com nachos ou simplesmente sobre uma fatia de pão (não é muito mexicano, mas fica ótimo).

É uma receita que tem bom equilíbrio de proteínas e gorduras e traz ainda a vitamina C dos sucos de limão e laranja. Mesmo com o cozimento, sempre resta um pouco. E o alho é poderoso para manter o sistema imune em dia.

Quesadillas

As quesadillas são, basicamente, tortillas de milho ou de farinha de trigo (como se fossem panquecas) recheadas de queijos, ou queijos com carne e legumes. Gosto de fazer com camarão e abobrinha, mais queijo meia cura, mas ficam ótimas também com as carnitas que ensinei acima –ou mesmo com frango picante refogado com tomates. O queijo meia cura é bacana porque derrete de uma forma interessante, sem formar tantos fios como a mozzarella. Mas use aquele que gostar mais.

Para facilitar a vida, costumo usar tortillas de farinha de trigo, prontas, daquelas que a gente encontra no mercado. Importante tostá-las na frigideira, sem óleo, antes de rechear, para ficarem mais crocantes.

Para quesadillas de camarão e abobrinha, refogue numa frigideira grande, com azeite, 1 cebola picada em cubinhos, 1 dente de alho picadinho, 2 tomates sem sementes, picados, e 1 abobrinha cortada em meias-luas. Tempere com gotas de limão, sal e pimenta-do-reino ou pimenta calabresa em flocos. Adicione um mínimo de água, só para formar um caldinho, e acrescente 500 gramas de camarão pequeno, sem casca, já limpos das tripinhas. Quando o camarão estiver rosado, retire do fogo.

Recheie as quesadillas com um pouco do camarão com legumes refogado, cubra com um punhado de queijo meia-cura ou mozzarella ralados, dobre a quesadilla ao meio e toste por fora. Quando o queijo derreter, está pronta. Só devorar!

Você gosta de cozinha mexicana? Qual o seu prato favorito? Conte para mim! Estou no Instagram, me adicione por lá.

Sobre a Autora

Luciana Mastrorosa é apaixonada por escrever, cozinhar e comer. Jornalista especializada em gastronomia e pesquisadora da área de alimentação, passou pelos principais veículos do país. Formada no Le Cordon Bleu Paris e Université de Reims Champagne-Ardenne, atualmente cursa o Mestrado em Nutrição Humana Aplicada, na Universidade de São Paulo. É autora do livro Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã (editora Memória Visual) e do e-book "Natal Feliz - 30 Receitas Incríveis para a Sua Ceia".

Sobre o Blog

Menu do Dia é o blog de culinária, receitas, gastronomia e nutrição, da jornalista e pesquisadora Luciana Mastrorosa. Aqui, você vai encontrar notícias, reflexões, receitas, degustações e muito mais sobre uma das melhores coisas da vida: comer.

Blog Menu do Dia